Pesquisar
Close this search box.

Salsify por Chef Ryan, gastronomia de vanguarda em patrimônio histórico de Cape Town

Com vistas panorâmicas para o Oceano Atlântico e as montanhas de Camps Bay como pano de fundo, o Salsify é um restaurante premiado de alta gastronomia que serve pratos modernos inspirados na natureza e impulsionados pelas estações do ano. Localizado em uma casa tombada, The Roundhouse, o Salsify oferece uma jornada culinária luxuosa, acentuada por uma decoração ousada e pílulas de história.

O menu de oito etapas, guiado pelas estações do ano, ultrapassa limites em termos de sabores delicados e intensos, texturas interessantes e uma busca incansável pela excelência. Inspirado na natureza que rodeia o Salsify, entre as montanhas e o mar, Chef Ryan Cole e sua equipe criaram uma série de pratos inteligentes e absolutamente cativantes – com vistas espetaculares, vinhos premium e serviço de padrões internacionais com a hospitalidade sul-africana.

O peixe tem destaque – apropriado, não apenas pela localização do restaurante de frente para o oceano, mas também pela origem do chef. “Meu pai era pescador, como não pescava tão bem, virei chef”, brinca Cole. Todo o peixe servido no restaurante é fruto de uma pesca de baixo impacto, o que garante além do sabor fresco, a ética e compromisso com à sustentabilidade.

O Salsify ocupa o andar superior do edifício historicamente significativo, The Roundhouse. Uma história que remonta a 1786, quando serviu primeiro como uma casa de guarda e, em seguida, como uma cabana de caça. A decoração interior do Salsify respeita o passado do edifício, mas quebra expectativas ao escrever seu próprio capítulo. O designer principal do espaço, Jean Francois De Villiers, traz um sopro de ar fresco ao ambiente, mantendo-se fiel não apenas ao passado do edifício, mas também ao conceito sustentável, sazonal e hiperlocal do chef Ryan.

Duas obras-chave, “The Vandalised Vicount” e “The Damaged Duke”, ambas representando figuras do século XVIII – completas com elaboradas molduras ilusórias que foram ‘vandalizadas’ por spray, oferecem não apenas um vislumbre da história do edifício, mas também desafiam as maneiras e graças da época, fundindo-se com a narrativa grafitada de Louis de Villiers, também conhecido como Skullboy, que decorou as paredes do espaço desde a abertura do restaurante.

A sala central, o coração do Salsify, abriga a escultura “Lady Salsify” de 1,3 metros de altura de Jan Otto du Plessis, uma escultura que é metade ave de caça e metade mulher, que atua como guardiã e musa do espaço. Ela fica sob um teto laranja iluminado por um elaborado lustre vintage, cercada por espelhos antigos envelhecidos. É um espaço que serve como um respiro entre os cômodos.

A Sala Sazonal chama a atenção para uma questão próxima ao coração do chef. De família de pescadores, o chef conhece como ninguém os efeitos do lixo plástico que acaba no mar. A instalação é construída sobre uma estrutura de aço com formas coloridas feitas 100% de material encontrado no oceano. Essas formas são cobertas com redes de pesca recuperadas em Suiderstrand e a sala é finalizada com o papel de parede de água-viva de Cara Saven – uma justaposição à extravagância de cores no teto.

Na Sala do Mar, as vistas para o Atlântico e o brilho dourado do sol refletindo no oceano são reproduzidos na linha de grafite dourado ao longo da sala. As impressões de pinheiro de Anton Kannemeyer prestam homenagem à floresta ao redor da Roundhouse, e uma comissão personalizada de Mariëtte Momberg mostra o antigo edifício linotipado em dourado em um jornal antigo do Cape Times – fazendo uma mistura do antigo com o novo. As “Naughts & Crosses” de Hennie Meyer, peças de cerâmica com personagens, animais e flora, adicionam mais um nível de interesse à linha de visão dos comensais.

Em todo o espaço, pequenas mesas laterais e armários vintage têm um toque jovem com pinturas vibrantes. O tema se estende às outras áreas da Roundhouse com peças personalizadas de “Shellegance” de Lucie de Moyencourt – uma seleção de conchas de cerâmica pintadas à mão – e o trabalho de Vorster and Braye na forma de vasos que lembram pedras de praia e são usados para os arranjos florais da vegetação nacional, Fynbos, em cada uma das mesas.

Em novembro de 2022, o Salsify foi adicionado à lista “World’s 50 Best Discovery” – ranking com sugestões de onde comer e beber que funciona como uma extensão das classificações anuais de restaurantes e bares do 50 Best. No mesmo ano, o restaurante também recebeu três estrelas no Eat Out Woolworths Awards 2022 e ganhou o cobiçado prêmio de Serviço de Vinhos. Também foi nomeado um dos melhores restaurantes do país pela Haute Grandeur e ganhou o primeiro lugar no HOSCO Luxe 100 Awards. Em 2023, o Salsify foi nomeado “Melhor Restaurante de Ponto de Referência da África em 2023” no World Culinary AwardsTM.

Raquel Pryzant
Raquel Pryzant