Pesquisar
Close this search box.

Cuidado com a oferta de ‘operação estruturada / COE’ pelo seu assessor de investimento

Muitos investidores nos últimos tempos caíram na lábia do assessor de investimentos que prometeram lucratividade onde não há, pois na verdade muitos desses assessores só pensam em se dar bem. Clientes que perderam milhões de reais com falsas promessas de blindagem de patrimônio principalmente pela oferta do produto: “operação estruturada / COE”.

Com um bom argumento por parte do assessor e pela confiança do seu profissionalismo, o investidor acaba aceitando uma nova operação. O resultado disso é que o assessor acaba ganhando pelas taxas na qual é remunerado e pela quantia de dinheiro que os seus clientes deixam na carteira por longo período, já que o capital pode ficar retido por longa data.

Nesse tipo de operação o investidor acaba ficando preso nessa carteira por longo período, enquanto o assessor ganha pela quantia de dinheiro que seus clientes deixam, bem como pela taxa de corretagem que engloba esse tipo de operação e o investidor na maioria das vezes fica no prejuízo, sem contar a desvalorização do seu patrimônio, além perder oportunidades de alocações em outros ativos.

“Um exemplo de fácil entendimento é se o assessor tem 100 clientes e cada um deles tem R$ 100 mil por mês na operação, a corretora vai remunerar o assessor pela custódia de cada um desses seus 100 clientes, além do recebimento da taxa de corretagem que são pagas antes e após o vencimento do investimento, já que esse tipo de operação é feita pela mesa da corretora. O retorno e o sucesso da operação não faz diferença para o assessor, já que ele sempre ganha.

A apresentação de produtos é algo corriqueiro no mercado, mas o perigo pode surgir na forma como são mostrados ao investidor. “O assessor de investimento não tem salário e nem remuneração fixa, podendo gerar um enorme conflito de interesses. Para garantir ganhos financeiros, ele depende do investidor e do que ele como seu cliente gera na carteira, ou seja, a famosa taxa de corretagem”.

O erro cometido é que o assessor oferece uma operação estruturada com a garantia de que o investidor não vai perder absolutamente nada, obviamente há assessores financeiros altamente qualificados e profissionais. Mas no mundo de investimentos todo cuidado é pouco.

“A dica principal é o investidor estar atento a toda e qualquer recomendação de investimento. É preciso ciência de todas as características e taxas que são cobradas nesse tipo de investimento. A operação estruturada não é ilegal, porém, a forma que é ofertado ao cliente quase nunca respeitam as diretrizes estipuladas pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM)”.

Dica valiosa é sempre que receber uma ligação onde foi apresentado um produto / investimento, registrar por mensagem com o próprio assessor um resumo de tudo que ele ofertou na ligação.

Regulamentação

A CVM é responsável por regulamentar e fiscalizar o Mercado Financeiro, constantemente publica Normativas para dar maior transparência e proteção aos investidores, assessores e corretoras. É normal o investidor receber ofertas dos seus assessores, no entanto, é necessário que essa oferta respeite o melhor interesse do cliente e do seu perfil de investidor.

Muitas dessas operações estruturadas, todo o perfil do investidor é alterado, visando “legalizar” a oferta e concretizar o investimento. Se o investidor está ou desconfia que está em uma dessas operações estruturadas, está travado e não consegue sair e o assessor ainda diz que se sair vai perder o investimento realizado, fale com nosso time de especialistas.

Dr. Marcos Cardoso e Dra. Patrícia Carvalho.

Escape Magazine
Escape Magazine