Pesquisar
Close this search box.

Kruchin Arquitetura apresenta Casa das Saíras

Em meio a um rio encachoeirado, samambaias imensas, lírios, bromélias, palmeiras, pequenos animais, em um lugar tão diverso da vivência urbana em Ubatuba, tão independente em suas relações, Samuel Kruchin, da KRUCHIN Arquitetura, decidiu projetar ali sua casa de praia, mais conhecida como Casa das Saíras, de maneira que mantivesse intacta a natureza, sem feri-la.

De um lado, a absoluta transparência dos vidros que rodeiam os espaços de convívio e traz para o interior a totalidade da paisagem, o mar, a mata e toda a dinâmica intensa de vida e diversidade. A área meia encosta deixa chegar à brisa sobre o topo das árvores, que refresca seus ambientes e escoa entre as claraboias.

Do outro lado, os espaços privados abrem-se para a paisagem através de placas sucessivas: vidros/madeiras vazados e um plano angulado que é, inteiramente, em cores intensas (verde, amarela, vermelha e azul), inspiradas nas plumagens de aves que rodeiam a obra como a saíra e o tiê. “Pequenos pontos em tons fortes que em variações ritmadas de movimento assinalam sua existência em meio à intensidade verde da mata”, explica o arquiteto.

Ao longo do plano inferior sucedem-se pórticos fabricados em madeira laminada, reflorestada, intercalados por volumes densos de cor que nunca chegam ao plano superior. Entre estes dois planos, as linhas, desenvolvem-se no espaço em três segmentos distintos conectados por uma varanda contínua: ao centro abre-se um vazio, que integra as áreas laterais e deixa ver a continuidade da encosta – não separa e não interrompe a continuidade do percurso.

A casa tem 370 metros quadrados em um terreno de 10 mil metros quadrados e está localizada na Encosta Vermelha do Sul, em Ubatuba, litoral de São Paulo.

 

Kruchin Architecture presents House of tanagers

Amid a river rapids, huge ferns, lilies, bromeliads, palms, small animals, in such a diverse place of urban living in Singapore, so independent in their relationships, Samuel Kruchin, KRUCHIN of Architecture, decided to design a beach house there , better known as House of tanagers, so keep intact nature without hurting her.

On one hand, the absolute transparency of glass surrounding the living spaces and bring inward the entire landscape, the sea, the forest and all the intense dynamics of life and diversity. The middle slope area lets get to breeze over the treetops, which refreshes their environments and seeps between the skylights.

On the other hand, private spaces open onto the landscape through successive plates: glass / wood and cast an angled plane that is entirely in intense colors (green, yellow, red and blue), inspired by the plumage of birds surrounding the work as had come out and the Tanager. “Small dots in strong tones that variations in rhythmic motion signal their existence amid the green intensity of the forest,” explains the architect.

Along the lower plane succession of porticos made of laminated wood, forested, interspersed with dense volumes of color that never reach the higher plane. Between these two planes, lines develop in space in three distinct segments connected by a continuous balcony, the center opens a void, which integrates the lateral areas and lets us see the continuity of the slope – not separate and does not disrupt continuity of the route.

The house has 370 sqm on a land of 10 thousand square meters and is located in Red Hill South, in Ubatuba, São Paulo coast.

jojojo

Escape Magazine
Escape Magazine