Pesquisar
Close this search box.

Casa Cor SP: Arquiteto Léo Shehtman projeta lounge dentro de um antigo vagão de trem

Expresso Déco: ambiente é inspirado na estética do movimento Art Déco

Conceito

O arquiteto e designer Léo Shehtman, presente pela 29ª vez na maior mostra de Arquitetura e Design da América Latina, Casa Cor, propõe a si mesmo e a sua equipe um desafio. O reaproveitamento de um vagão de trem abandonado, o objetivo é reformá-lo para se transformar em um lounge.

Utilizando um vagão de trem, de 1945, da antiga Estrada de Ferro Sorocabana, o arquiteto Léo Shehtman projeta um lounge minimalista e funcional para a 30ª edição da Casa Cor SP, que acontece de 17 de maio a 10 de julho no Jockey Club. O carro EF-401 foi usado como bagageiro, tanto no transporte de passageiros como de serviços, até a década de 80. Esse que estava sem vida útil, hoje ganha uma ressignificação artística e arquitetônica.

Somando 40m², o projeto apoia-se nas linhas retas e esféricas das figuras geométricas e de desenhos de natureza, que resgata para o presente a elegância do passado de uma maneira despretensiosa. Com o apoio artístico do movimento Art Déco – movimento popular internacional de design que afetou a arquitetura, design de interiores e desenho industrial, entre outras artes decorativas.

O ambiente

A área interna do vagão conta com living, banho, uma sala de almoço e cozinha priorizando a integração entre esses ambientes e o ordenamento do espaço de uma forma otimizada. O espaço busca resgatar a essência e a elegância do movimento Art Déco para a contemporaneidade. Portanto, a fim de concretizar tal objetivo o Arquiteto se propõe a desenhar grande parte do mobiliário na tentativa de incorporar passado e presente como forma de representar seu olhar singular acerca do futuro da decoração de interiores.

20160509_164945

A execução da marcenaria ficou a cargo da Dedicatto Mobília e dos móveis internos pela Dunelli com tecidos da Quaker Decor, enquanto os externos foram fornecidos pela Saccaro. Os painéis de madeira certificada Carvalho da Duratex trazem o ideal da sustentabilidade para o projeto, minimizando o impacto ambiental da extração de madeira e ao mesmo tempo acelerando o processo construtivo. Os demais revestimentos e outros materiais foram fornecidos pela Xhara C&C. O Silestone Amazon reveste todo o banheiro e concretiza bancada em forma de caixa localizada na cozinha, fornecido pela Cosentino e executado pela Top Mármore. A Iluminação teve importante papel cenográfico e a missão de valorizar a arquitetura idealizada pelo Arquiteto, para isso, o projeto foi especialmente desenvolvido pela Allure Iluminação e conta com lâmpadas de LED da Brilla. Os eletrodomésticos são um lançamento no mercado, foram fornecidos pela LG para a cozinha do ambiente e pertencem à linha Estúdio da empresa. Para os metais e acessórios os acabamentos Gold Matte e as louças Marrom Fosco são lançamento da DECA e demonstram como as empresas estão buscando resgatar a beleza de elementos do passado para a contemporaneidade.

Os detalhes da produção interna do vagão também são inspirados no Art Déco, e foram selecionados com muito cuidado e critério. Destacamos: o móvel-bar francês vintage, originalmente da década de 20 executado em madeira de lei maciça ebanizada e espelho rosé e com paginação em “arlequino”; a luminária de piso Italiana em metal com cúpulas de Murano Mazzega, ambos da NN Antiques de Tadeu Nasser. E também a cadeira Hill House de 1904, desenho de Charles Rennie Mackintosh cedida pela Began Antiguidades.

As arandelas em latão e cristal murano, o abajur em latão e a luminária de parede com braço móvel são do antiquário Juliana Benfatti. As malas de viagem, o estojo masculino de viagem Inglês de 1890, arandela italiana Mazzega em murano rosa e latão do banheiro, vasos de murano rosa, foram cedidos pela Passado Composto.

As demais malas, o abajur metálico e a escultura dançarina em bronze são da Anno Domini. As almofadas internas são em pele natural e externas em Neoprene da CODEX HOME. A foto P&B de Alberto Ferreira e as esculturas em bronze e cerâmica de Florian Raiss são cortesia da Galeria Lume. Já a Foto da escada em moldura de acrílico do francês Sarkozy, gravuras geométricas de Hercules Barsotti e do tatuador e desenhista Renato Leandro, além do retrato com manuscrito de Tarsila do Amaral são da Monica Filgueiras Galeria de Arte. O tapete em linhas Art Déco foi desenvolvido especialmente para integrar o ambiente pela By Kamy.

A área externa conta com um deck revestido em porcelanato de madeira e é um lançamento da Decortiles, linha Blackwood, que além de dar acesso às dependências internas, também funciona como uma área de descanso e contemplação, aproveitando a melhor vista do Jockey de São Paulo. A área tem em todo o seu perímetro os cobogós esculturais de concreto e o painel de madeira da designer Ana Paula Castro. Os Móveis externos são das coleções Pier, Malta e Gradiente e Varazzi da Saccaro. A Produção, balcão gourmet e objetos externos ficaram a cargo da L’oeil e a churrasqueira de inox embutida foi fornecida pela Home And Grill. Por fim, em sua estreia, o coletivo Vollume BR, do nosso parceiro Jey, é responsável pelo grafite externo do vagão que não somente atrai olhares para o espaço como também resgata um grande elemento da arte e cultura urbanas da cidade de São Paulo, a arte do grafite que se encontra presente em grande parte da cidade e constitui uma importante forma de expressão artística.

Missão

“Hoje, pela primeira vez na história do mundo, a população urbana supera a população rural, o advento do século das cidades traz consigo um crescimento exponencial das aglomerações de pessoas nos grandes centros urbanos. Torna-se de suma importância o papel do arquiteto para a concepção de soluções práticas e inovadoras tanto para habitar quanto para o convívio”, afirma Léo Shehtman.

Em um momento onde tanto se fala em recuperar, preservar e reinventar, decidimos reformar um vagão de trem e mostrar como podemos dar novos usos aquilo que muitos consideram como “lixo” ou “descartável”. Mostrar como o “belo” pode surgir a partir de qualquer lugar e de qualquer situação, esse projeto tenta mostrar que é sim possível reutilizar estruturas e ter conforto e praticidade em espaços pequenos.

Para Léo, ao longo de sua jornada profissional sempre foi importante buscar, estimular o contato e o apreço do público com o mundo do design e da decoração, assim como as sensações indescritíveis que percebemos em nosso interior ao contemplar uma pintura. “Acreditamos que da mesma maneira a arquitetura também possui esse dom de provocar e estimular sensações e sentimentos particulares em cada pessoa” revela o arquiteto que mais participou da Casa Cor SP.

Na atual realidade global, a temática da moradia e do bem-estar entra em conflito com a falta de espaço, o alto custo e a crescente insustentabilidade que se materializa nos centros urbanos. Isto não é provocado somente pela superpopulação mundial, mas também do ritmo de vida acelerado e fluído de uma sociedade pós-moderna. Por isso, torna-se imprescindível para o Arquiteto na contemporaneidade, ao conceber espaços, priorizar a promoção de soluções práticas para viver em sociedade. A consciência de que a arquitetura e design são elementos essenciais para a construção de uma sociedade civil, acarretam uma responsabilidade social. Por isso, buscamos a arte que agrega, constrói e evolui o ser humano. Dessa forma, a equipe Léo Shehtman é norteada, tendo em vista em viabilizar projetos como o Expresso Déco. É com muita satisfação que o escritório Léo Shehtman está executando esse desafio arquitetônico e artístico.

Escape Magazine
Escape Magazine